01/11/2019 às 08h08min - Atualizada em 01/11/2019 às 08h08min

Contrato de locação por temporada: quais os cuidados com esse documento?

Entender bem como funciona o aluguel por temporada vai evitar dores de cabeça da sua parte

Michelle Rodrigues
Reprodução

Entender bem como funciona um contrato de locação por temporada vai evitar dores de cabeça da sua parte, para poder curtir bons momentos em família com tranquilidade. Afinal, encontrar um bom lugar para ficar temporariamente pode valer muito mais a pena do que experiências entediantes com hotel e demais alternativas.

Porém, como tudo na vida, é preciso ter as informações e os direcionamentos corretos. Sem isso, fica mais difícil tomar decisões acertadas e usufruir de um bom imóvel de temporada. Se quer descobrir como é o contrato de aluguel por temporada a fim de fazer boas escolhas, continue lendo e aprenda com as informações a seguir.
 
Como funciona esse mercado?
 
O mercado de aluguel por temporada funciona sob a lógica de um proprietário poder ofertar um imóvel a um locatário pelo período máximo de 90 dias com o direito de cobrar a quitação dos valores de antemão. Como o custo-benefício da locação por temporada costuma ser muito superior a outras experiências mais comuns como hotéis, hospedagem colaborativa e demais modelos existentes hoje, essa alternativa acaba sendo uma opção bastante procurada por quem quer o melhor ao passar férias com a família ou mesmo ter um espaço só seu em uma viagem a trabalho.
 
Devido a qualidade que os imóveis de temporada geralmente oferecem, é um mercado bem interessante tanto para quem aluga quanto para quem permanecerá temporariamente nessas propriedades. Como o mundo tem mudado em uma velocidade nunca vista antes, é normal existirem diversas alternativas de hospedagem, e haver uma certa confusão sobre como cada uma delas funcionam.
 
Se quiser espaço, conforto e privacidade para você e sua família quando vão viajar juntos, considere o aluguel por temporada entre suas principais opções. Pesquisando um pouco sobre esses imóveis, você verá o quanto pode valer a pena.
 
Quais os principais direitos e deveres do locador ao firmar contrato de locação por temporada?
 
Querendo ou não, contar com uma imobiliária que possa lhe dar todo o apoio e direcionamento esperado pode ser de grande valia. Dizemos isso porque ter que negociar diretamente com o proprietário sempre acaba caindo em uma relação de confiança que pode ser incerta. Quando você tem alguém intermediando e garantindo que se trata de um negócio sério e seguro as coisas tendem a ser muito mais tranquilas.
 
Algumas pessoas, por acharem que estão economizando ao evitar o auxílio profissional, acabam entrando em negociações inseguras e que mais tarde podem trazer problemas a elas logo em um momento que deveria ser de paz e descanso como as férias.
 
Considere ainda que contar com uma imobiliária significa a possibilidade de encontrar de antemão os melhores imóveis de temporada para você e sua família, simplificando e facilitando bastante a busca que você teria que fazer por si próprio sem garantia de sucesso. Todavia, independentemente de todo esse auxílio, é preciso estar atento a algumas regras e obrigações que fazem parte das atribuições do locador. Veja abaixo!
 
Entregar imóvel em boas condições
 
É da obrigação do locador entregar o imóvel que utilizou pela temporada em boas condições. Isso significa que se foi entregue uma casa de praia em perfeito estado para você mas no meio do processo algum dano acontece e você não procura solucionar aquilo — como avisando à imobiliária do ocorrido e avaliando o que deve ser feito – então você pode estar quebrando uma das regras primordiais do contrato.
 
Como o contrato é um documento legal, você deve estar ciente que não dar a devida atenção a esse fato pode trazer consequências que devem ser evitadas por meio da conduta correta. Isso não significa que você vá aproveitar menos o aluguel por temporada por conta desse fato, mas que fará parte das suas responsabilidades como locador ter o devido cuidado.
 
Pagar despesas extras
 
Sabe aquela velha máxima do “leia antes de assinar”? Pois bem, atenção ao que está sendo oferecido, não suponha nada que não foi expressamente esclarecido em contrato. Se não fala que tem internet na casa mas você supôs que sim, lamentamos, mas se realmente quiser ter esse tipo de serviço terá que encontrar outra forma para utilizá-lo.
 
Da mesma forma, se o contrato especificar que determinado serviço não faz parte do aluguel, não adiantará você cobrar isso do proprietário. Por mais esse motivo, contar com uma imobiliária ou um corretor é uma boa ideia a fim de que ela lhe adiante e esclareça todos os pontos do contrato de aluguel por temporada daquele imóvel.
 
Cumprir regras
 
Para além dos cuidados básicos com a estrutura da casa e o que está dentro dela e foi disponibilizado para seu uso e da sua família, existem ainda algumas regras extras que estarão relacionadas ao condomínio do qual o imóvel de temporada faz parte. Alguns pontos que poderíamos destacar nisso estão a seguir.
 
Festas e horários
 
Obviamente, se você alugou e vai permanecer nele com sua família, terá liberdade para celebrarem momentos juntos e curtirem o imóvel. Porém, como em qualquer outro ambiente habitacional, horários que desrespeitam regras do condomínio, como som alto depois das 22 horas, podem ser impedidos em nome do bom convívio entre todos.
 
Animais de estimação
 
Existem condomínios que aceitam animais de estimação sem muitas restrições. O segredo é avaliar de antemão quais as regras a serem seguidas a fim de evitar desgastes ou ir contra qualquer ponto determinado pelo contrato de aluguel por temporada.
 
Mais uma vez, a intermediação de uma imobiliária ou de um corretor nesse processo pode orientar a ter maior clareza do que pode ser feito e lhe ajudar a encontrar o lugar ideal que atenda os seus interesses e da sua família.
Bom pessoal, esse assunto é bem extenso! Em um outro momento continuaremos a falar sobre mais alguns cuidados.
 
Até a próxima!

Relacionadas »
Comentários »