Portal NN1

Últimas

STJD suspende julgamento de árbitro alagoano envolvido em esquema na PB Cortesia ao NN1

STJD suspende julgamento de árbitro alagoano envolvido em esquema na PB

O árbitro alagoano Francisco Carlos do Nascimento (ex-Fifa) foi o único dos 20 denunciados a comparecer nesta terça-feira (09/10) no julgamento de um suposto esquema de manipulação de resultados no Campeonato Paraibano.

Após o depoimento de Chicão, o auditor Vanderson Maçullo pediu vistas para analisar a competência de julgamento pela Terceira Comissão Disciplinar do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e suspendeu a sessão, a qual não tem data definida para ser retomada.

Francisco Carlos apitou a primeira partida da decisão do Campeonato Paraibano deste ano entre Botafogo e Campinense. Ele se emocionou durante o julgamento no Rio de Janeiro e disse que é inocente.

Chicão falou ainda sobre a conversa com Danilo Ramos "Corisco", massagista da Campinense, acusado de ser o "homem' do esquema usado por Treze e Campinense para se aproximar dos árbitros.

- O único jogo que fiz foi o primeiro jogo da final. Fui designado para fazer esse jogo na Paraíba. Automaticamente quando saiu a escala, o Danilo entrou em contato comigo. Ele é o cara que nos auxilia e é de confiança na Paraíba. Saí de Alagoas na quarta para fazer esse jogo junto com dois assistentes. Ele (Danilo) me perguntou qual o hotel eu queria ficar e a reserva foi feita pelo meu assistente. Cheguei na Paraíba na quarta à noite e Danilo me mandou mensagem. Ele perguntou que horas íamos tomar café. Depois do café perguntou que horas íamos almoçar. Eu falei que 13h, mas 11h30 ele já estava na recepção do hotel - explicou o árbitro que corre o risco de até ser banido do futebol.

O árbitro alagoano disse ainda que coloca à disposição da Justiça seu sigilo telefônico e a conta bancária.

- Saí da minha cidade pobre, levei minha mãe e irmã e não tínhamos onde morar. Hoje tenho minha casinha, fui árbitro Fifa e tudo que tenho conquistei com a arbitragem de forma correta...Quem ia para a Paraíba sempre procurava o Danilo para dar assistência. Ele disse que foi chamado na polícia e que iria falar a verdade lá. Foram 35 dias sem dormir. Hoje sou referência no meu estado na arbitragem. Quem fosse para aquela final teria problema por estarem envolvidos do TJD a Federação. O Danilo foi na delegacia e falou que não tive envolvimento. Vim hoje para tirar qualquer tipo de dúvida. Tenho certeza que a justiça será feita. O que me perguntarem eu estou aqui para responder. Hoje é meu aniversário e queria estar em casa com minha família, mas vim esclarecer tudo. Foi um jogo que fui lá e infelizmente aconteceu isso comigo. Quero dizer que não tenho nada com isso. O meu hotel eu paguei. Mesmo nos jogos da CBF era esse Danilo que dava assistência para os árbitros lá na Paraíba - declarou Francisco Carlos.

Emocionado, Chicão afirmou que sua carreira no futebol é limpa.

- Sou um árbitro de total confiança da Comissão de Arbitragem. Fui o primeiro árbitro FIFA de Alagoas e nunca tive nenhum problema na carreira. Assim que soube do fato emiti uma nota e atendi toda a imprensa para tirar todas as dúvidas. Continuo na ativa. Fiquei 35 dias afastado, houve a denúncia de todos e saí de lá como ouvinte. Voltei a atuar.

Francisco Carlos apresentou também nesta terça-feira, os áudios trocados com Danilo Corisco. Ele pediu que o massagista do Campinense falasse a verdade e enviou para os auditores o depoimento prestado por Danilo à polícia da Paraíba em que ele afirmou que o árbitro Chicão não sabia com quem falou ao telefone.

 

Da redação com GE

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas