Portal NN1

Últimas

Band cancela debate entre Bolsonaro e Haddad Montagem NN1

Band cancela debate entre Bolsonaro e Haddad

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), foi impedido por seus médicos de ir ao debate eleitoral que aconteceria nesta sexta-feira (12/10). A Rede Bandeirantes cancelou o confronto que faria entre Bolsonaro e Fernando Haddad (PT).

Esse seria o primeiro debate televisivo na corrida presidencial do segundo turno e de acordo com a Band, está sendo avaliada uma nova data para o evento, mas não há um dia certo para que ele ocorra.

Os médicos do Hospital Albert Einstein, Antônio Luiz Macedo e Leandro Echenique, não liberaram Bolsonaro para o debate e também não recomendaram que ele fizesse campanha na rua. Na próxima quinta-feira (18/10), será realizada uma nova avaliação médica no candidato.

A Band chegou a enviar uma equipe ao Rio de Janeiro e preparar um esquema para que o debate fosse gravado na capital carioca em vez de São Paulo, sede da emissora. A equipe do presidenciável chegou a acenar com essa possibilidade para que Bolsonaro não precisasse pegar um avião.

Mesmo com esse esforço, a equipe de Bolsonaro negou participação no evento. Em sua página no Facebook, Haddad disse que para debater, ele poderia ir a uma enfermaria se fosse preciso.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as emissoras devem respeitar as resoluções do tribunal e garantir o tratamento igual aos candidatos em debates e entrevistas. Assim, se Haddad tivesse um tempo só dele na Band na próxima sexta-feira (12/10), o mesmo teria de ser feito com o Bolsonaro.

Se a Band mantivesse o evento em seu calendário apenas com Haddad, o fato poderia abrir margem para interpretações e denúncias, pois ele representaria tratamento desigual entre os candidatos, onde o próprio conceito de “debate” seria questionado.

Bolsonaro poderia participar do debate, remotamente, que segundo o TSE, é inédita a hipótese de um candidato participar de um debate via internet, mas o fato seria possível.

Se um candidato participasse do debate na TV via link, ao vivo, estando em casa ou em outro local, o evento poderia ocorrer, legalmente, se garantindo que os candidatos tivessem condições de igualdade: mesmo tempo para falar, mesmas regras e etc.

Para o TSE, no caso dessa sexta-feira, se Bolsonaro optasse por essa saída para participar do debate, a TV Band poderia solicitar a aprovação do tribunal que avaliaria as condições.

 

Da redação com Revista Exame

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas