Portal NN1

Últimas

Bolsonaro ameaçou ex- mulher de morte, diz telegrama da embaixada da Noruega Crédito: reprodução internet

Bolsonaro ameaçou ex- mulher de morte, diz telegrama da embaixada da Noruega

O candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, ameaçou de morte sua então esposa Ana Cristina Valle. O caso teria ocorrido em 2009 e teria motivado Ana a deixar o Brasil 2 anos depois em 2011. O relato é da própria ex-mulher de Bolsonaro e consta em telegrama enviado ao Itamaraty (sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil). Nesse período, Bolsonaro e Ana Cristina travavam uma batalha judicial pela guarda do filho, na época com 12 anos. As informações foram obtidas via lei de acesso à informação pelo jornal Folha de São Paulo.

 “A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há 2 anos [em 2009] ‘por ter sido ameaçada de morte’ pelo pai do menor [Bolsonaro]. Aduziu ela que tal acusação poderia motivar pedido de asilo político neste país [Noruega]”, diz o telegrama (confira imagem do documento na galeria da matéria). Em outro trecho do documento, Ana Cristina disse considerar que, ao procurá-la, o vice-consulado do Brasil na Noruega “estava agindo em nome do deputado federal Jair Bolsonaro”. O então embaixador da Noruega, Carlos Henrique Cardim, confirmou a autoria do telegrama.

Atualmente Ana Cristina, ex-servidora da Câmara Municipal de Resende (RJ), usa o sobrenome “Bolsonaro” e é candidata a deputada federal pelo Podemos. Ela disse apoiar a candidatura do ex-marido ao Planalto e considerou “superado” o episódio na Noruega, apesar de ter admitido ter sido pressionada por ele à época.

Cardim disse ainda que com o telegrama, fez apenas “um relato” da situação. “Não estou aqui [no telegrama] julgando se houve ou não essa ameaça. Só estou registrando o fato que ela falou para o vice-cônsul. E ponto. Lá [embaixada] não é delegacia de polícia. Se ela quiser apresentar uma queixa, ela vai a uma delegacia de polícia no Brasil, apresenta, é outro processo, compreende?”, explicou o diplomata.

 

OUTRO LADO

 

O jornal procurou a assessoria de Jair Bolsonaro que não quis se pronunciar. O candidato está internado no Hospital Albert Einstein em São Paulo se recuperando de um atentado sofrido  em Juiz de Fora (MG) no último dia 6. Ele foi aingido por golpe de faca.

Ana Cristina disse que o deputado estava errado porque ela não tinha a intenção de fugir com a criança, e sim passar um período na Noruega com o filho. Ela disse que a ligação telefônica dada pelo pessoal da Embaixada foi para seu marido norueguês e não para ela.

“Foi uma pressão que [Bolsonaro] fez. Mas é uma questão de pai, de foro íntimo, entendeu, de família mesmo. Eu achava que ele nem deveria ter feito isso, mas se ele fez... E depois acabou tudo bem, ele tirou a ação [que corria no Rio] e ficou tudo bem. [...] É coisa de pai, que eu respeito ele, porque ele tem um amor fora do comum pelos filhos”, disse Ana Cristina.

Da redação com informações da Folha de São Paulo

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas