Portal NN1

Últimas

Cefaleia ou Dor de Cabeça, qual é a sua? Dor de cabeça: 4 de cada 5 homens no Brasil têm cefaleia.

Cefaleia ou Dor de Cabeça, qual é a sua?

Se você não sentiu nenhum tipo de dor de cabeça nos últimos 12 meses, considere-se uma pessoa de sorte. Calcula-se que 80% dos homens no Brasil e nos países ocidentais sofrem ataques de dores de cabeça, conhecidas no mundo médico como cefaleias, todos os anos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 200 tipos de cefaleias, divididas em primárias e secundárias.

O estudo epidemiológico nacional da enxaqueca estudou mais de 3.800 pessoas e revelou que a população brasileira tem 15,2% de enxaqueca, 13% de cefaleia tensional e 6,9% de cefaleia crônica diária. 

A prevalência da enxaqueca é semelhante em outros países, mas a da cefaleia crônica diária é maior no Brasil.

Os tratamentos podem ser medicamentosos ou não medicamentosos e todos têm a mesma faixa de resposta terapêutica. Cerca de 50% de diminuição e em 50% das pessoas, as dores de cabeça fortes reduzem sua intensidade.

Quais são as cefaleias mais conhecidas?

Dá para destacar 3. Cefaleia tensional é a dor de cabeça do dia a dia que atinge 60 milhões de brasileiros. Tem intensidade que varia de leve a moderada e demora até 3 horas. Como o nome sugere, é causada pela tensão muscular, sobretudo nos músculos da cabeça, do pescoço, dos ombros e da coluna. Existem casos de cefaleia tensional crônica que podem demorar até uma semana para curar. Cefaleia em salvas atinge mais os homens do que as mulheres e tem como principal característica ser uma dor de cabeça muito forte e que pode gerar crises várias vezes durante o mesmo dia. Vem acompanhada de vermelhidão e inchaço nos olhos, suor e nariz entupido. Enxaqueca é hereditária e não tem cura. Pode demorar até 72 horas e, normalmente, tem sintomas como enjoo, vômito e tontura que acompanham uma forte dor de cabeça durante as crises.

Analgésicos resolvem?

Os analgésicos são verdadeiros bombeiros que servem para apagar o incêndio. Você deve usar com cuidado e, se as dores acontecerem 2 ou mais vezes por semana, é melhor deixá-los de lado e procurar um médico. E fique ligado no “efeito rebote”: o corpo pode se acostumar com o uso do analgésico e as dores voltarem pouco tempo após tomar o medicamento.

Muitos medicamentos podem ser utilizados como neuromoduladores (anticonvulsivantes), antidepressivos e betabloqueadores. Novas opções, como por exemplo a toxina botulínica, podem ser utilizadas em alguns casos selecionados.

Como tratar?

O mais importante é evitar que a dor de cabeça ataque e para isso os hábitos saudáveis são fundamentais. Se a cefaleia for algo que te atinge raramente, o analgésico de sua preferência deve resolver. Agora, se você está sofrendo, constantemente, com as dores, é preciso ir ao médico e seguir, rigorosamente, as suas orientações. Em muitos casos, o paciente é aconselhado a tomar antidepressivos, relaxantes musculares e outros medicamentos que devem ser usados apenas com prescrição médica.

O tratamento da cefaleia em salvas é diferente da enxaqueca: na crise, o uso do oxigênio é preconizado, para prevenção são utilizados procedimentos como o bloqueio de nervo occipital, remédios como o verapamil, topiramato, carbolítio e melatonina. Em certos casos, pode se usar corticóides para cortar o ciclo de dor.

Mas, lembre-se: Automedicação não!

Sentindo algum sintoma relacionado à cefaleia ou enxaqueca, procure ajuda médica!

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas