Portal NN1

Últimas

Conselheiro do Clube dos Fumicultores fala sobre leilão Foto: Reprodução internet.

Conselheiro do Clube dos Fumicultores fala sobre leilão

Durante esta semana, notícias sobre o leilão da sede do Clube dos Fumicultores em Arapiraca preocupou a população. Em 2019, o clube completa 70 anos, possui 1.500 associados e faz parte da história arapiraquense.

Kléber Ernesto, presidente do conselho deliberativo do Clube dos Fumicultores de Arapiraca explicou o processo do leilão. “Existe um processo de execução, esse processo é da fazenda nacional, é um processo já bastante antigo, essa execução aconteceu no ano passado, refere-se a uma causa que na verdade não é trabalhista, é um problema de execução fiscal de INSS. Então, o clube tomou conhecimento. Não sabemos porque motivo o clube não acompanhou esse processo através de gestores anteriores e chegou ao ponto de agora acontecer essa execução”.

O clube tenta um parcelamento da dívida. “Entramos em contato com a fazenda nacional, conseguimos falar com a procuradoria geral da fazenda, não cabe mais embargos devido a situação em que o processo se encontra, então o que estamos fazendo é tentar um novo parcelamento. Acredito que até a próxima segunda-feira nós estamos finalizando esse parcelamento junto à Receita Federal”, falou o conselheiro.

O clube pode ir a leilão no próxima dia 11 de outubro. “Vamos tentar suspender essa segunda praça que será dia 11 de outubro com esse novo parcelamento, o que pode acontecer é que caso a praça aconteça pode ter arrematação, como também pode ser que não haja nenhum interessado e isso pode nos favorecer e a gente solucionar o problema”, afirma Ernesto.

O conselheiro fez um apelo aos sócios inadimplentes. “Só 10% dos associados são adimplentes e fica difícil realmente manter uma instituição como essa. Estamos preocupados não apenas com o patrimônio físico, mas com o patrimônio histórico de Arapiraca, muitas famílias tem o nome no clube. Pedimos a sociedade que nos ajude, que as pessoas regularizem a sua situação. Sanadas as dívidas dos inadimplentes conseguimos reverter essa situação”.

 

Da redação com reportagem de Jânio Barbosa

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas