Portal NN1

Últimas

Em sabatina na NN, Luciano Barbosa não descarta diálogo com Célia Rocha Vice-governador concedeu entrevista a rádio Novo Nordeste FM (Foto: Taisa Bibi)

Em sabatina na NN, Luciano Barbosa não descarta diálogo com Célia Rocha

O vice-governador do estado e candidato à reeleição, Luciano Barbosa (MDB) foi o último convidado da série de sabatinas com os candidatos à vice nas eleições 2018, promovida pela Rádio Novo Nordeste FM com cobertura do portal NN1. Barbosa falou se pretende ocupar, novamente, cargos num futuro governo Renan Filho, sobre a sucessão municipal em Arapiraca e a crise do setor sucroalcooleiro, dentre outros temas.

O vice-governador não quis antecipar uma eventual posição sua num próximo governo de Renan Filho. “O futuro a Deus pertence. Agora, tenho uma ligação política com a educação, enquanto projeto de governo, mas não discuto nomes. Pra mim será sempre um prazer poder colaborar em qualquer área que possa ser chamado para dar minha contribuição”, afirmou.

Questionado sobre o fato do governador não ter comparecido a alguns debates e sabatinas e ter reduzido seu ritmo de campanha após a desistência do senador Fernando Collor, Barbosa desmentiu qualquer mudança na agenda de Renan Filho. “Pelo contrário, ontem mesmo o governador esteve em caminhada. A campanha não é para que a gente possa bater um adversário, mas para falar às pessoas com responsabilidade o que a gente pensa. Existe todo um cronograma, uma agenda de campanha, e o governador não para”, completou.

Luciano aproveitou ainda para criticar o prefeito da capital, Rui Palmeira – que vem tecendo pesadas críticas ao senador Renan Calheiros. “O crescimento desordenado de Maceió não interessa a ninguém. As pessoas chegam a Maceió e não tem trabalho, não tem escola, há uma falta de infraestrutura da própria administração pública, no sentido de absorver a velocidade com que as pessoas fluem para a capital”, afirmou.

O vice-governador deixou aberta a possibilidade de reaglutinação dos antigos aliados com vistas às eleições de 2020. “Tenho um ditado que aprendi com minha mãe, que diz ‘cada dia com sua agonia’. Hoje eu tenho que cuidar da eleição de 2018. Essas alianças se fazem e se desfazem com muita rapidez, eu acho que a gente tem que ter calma”, completou. Em outro momento, referindo-se a ex-prefeita Célia Rocha, Barbosa afirmou que conversaria, novamente, com ela a qualquer momento. “Eu converso qualquer hora, até por questão de educação, a gente deve conversar com todas as pessoas, e isso é a minha formação. Agora, discutir 2020 em 2018, eu acho que é pouco razoável”.

Luciano discordou sobre os números da violência divulgados durante a campanha pelos adversários. “Existem dados estatísticos que são públicos e dizem que Alagoas saiu daquela situação [de violência]. Maceió era a capital mais violenta, e hoje não é mais, como atestar isso? Maceió é hoje o primeiro destino turístico pela CVC [empresa de turismo], porque as pessoas não estão mais indo pro Rio de Janeiro, por causa da violência, porque vê os ônibus sendo queimados em Natal (RN), os presidiários fugindo no Ceará. Isso favorece oportunidades novas, induz o turismo, reduz a violência”, ressaltou.

A série de sabatinas com os candidatos nas eleições deste ano se encerram neste sábado (29/09) com o candidato ao governo pelo PSOL, Basile Christopoulos. O governador Renan Filho (MDB) foi convidado para a sabatina neste sábado, mas alegando problemas de agenda, não estará presente. A série da rádio Novo Nordeste é apresentada pelo radialista José Rocha com participação de Gilberto Júnior e Luciano Amorim.

 

Luciano Amorim

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas