Portal NN1

Últimas

Sabatina NN: "Vou acabar com o loteamento de secretarias com a ALE", diz Basile Candidato ao Governo de Alagoas, Basile Christopoulos do PSOL Foto: Taísa Bibi.

Sabatina NN: "Vou acabar com o loteamento de secretarias com a ALE", diz Basile

Na manhã deste sábado (29/09), o candidato ao governo de Alagoas, Basile Christopoulos do PSOL, participou de sabatina na rádio Novo Nordeste. O candidato falou da atual gestão, da sua forma de ver política e de suas propostas.

Forma de fazer campanha

O candidato falou da sua forma de fazer campanha. Para Basile, a campanha tem que ser pé no chão e não inatingível em um trio elétrico. “Quem anda de helicóptero não conhece a realidade de Alagoas. Estamos sendo elogiados por isso, pela forma de fazer campanha. Nossa política é diferente, conversando com as pessoas, querendo saber os problemas. Estivemos nas universidades e estão dizendo que é o primeiro candidato que conversa, diretamente, com as pessoas. Só compreendemos o problema do povo quando estamos no chão conversando com as pessoas”.

“Precisamos repensar na política, essa tradicional do cacique está fadada a acabar. Continuarei fazendo campanha pé no chão, cara a cara, para entender melhor a realidade”, completou o candidato.

Fundo partidário

“Claro que temos uma campanha pobre, nosso partido ofereceu R$ 15 mil para a nossa campanha, é pouco, recebemos outras doações, fizemos vaquinha. O PSOL votou contra a criação do fundo eleitoral. O fundo é bilionário, mau distribuído, o MDB leva tudo, os pequenos ficam com quase nada”, disse Basile.

O candidato acredita que as campanhas devem ser financiadas pelo povo. “O cargo não é do político, é do povo, então isso justifica o financiamento pelo público”, disse o candidato.

Concurso públicos

Para Christopoulos: “Hoje em Alagoas temos uma política salarial que ao meu ver é equivocada. O governador aumentou o próprio salário, isso revela a vontade de salários altos, enquanto muitos recebem o mínimo”.

Para fazer o candidato é possível fazer concurso público, anualmente, para substituir os contratados por efetivos. “Temos que reverter as coisas, Alagoas gastou mais de R$ 50 milhões em monitores e não fez concurso para professor. É uma questão de ajuste, e gestão e temos competência. Vamos Identificar os excessos para cortar gastos. Vamos realizar concursos regulares, todo ano pra educação. E ir substituindo os aposentados, os que se desligam do sistema, por concursados”.

Saúde

Para Basile, o atual governador do estado, Renan Filho (MDB), faz prédios novos para mostrar à sociedade que está fazendo alguma coisa.

Para o candidato, construir prédios não resolve o problema. “O atual governo disse que construiu 5 prédios, mas não entregou nenhum completo. Não existe concursos para os profissionais da saúde”.

“O foco desse governo é o prédio novo para mostrar pra sociedade que está fazendo alguma coisa, como se isso fosse um bom serviço. E os antigos estão sucateados. A saúde de Alagoas está um caos”, completou Basile.

Para Christopoulos: “Claramente faltou planejamento na melhoria do serviço à saúde. Seria melhor fazer, por exemplo, 2 hospitais e melhorar os que já existem. Mas não, o governo prefere mostrar a obra. A propaganda é bonita na televisão, mas mostra uma Alagoas que não existe”.

O candidato disse ainda que falta remédios nas farmácias do governo de Alagoas e que não existe diálogo com os profissionais que prestam os serviços de saúde.

Falou também da privatização dos serviços públicos. Segundo o candidato, dos R$ 600 da verba destinada à saúde, R$ 100 milhões foram injetados em hospitais privados. “Serviço público tem um custo menor do que a privatização, não concordamos com isso”.

“O governo aumentou os tributos, pegou o recurso para construir os hospitais, não entregou, e não melhorou os que já existem. O ideal do FECOEP (Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza) é tudo que pode ser utilizado para o combate à pobreza, uma parte desses recursos poderiam ser utilizados para melhoria do Hospital Geral do Estado, por exemplo. Recursos não faltam, falta gestão”, afirmou o candidato.

Em relação aos hospitais que serão entregues, segundo o candidato, não irá haver concurso público, o governo pretende privatizar os hospitais. “O plano é privatizar, o Hospital da Mulher, por exemplo, será entregue às organizações sociais. Organizações, muitas vezes de políticos que usam essas entidades para extrair recursos em benefício próprio. Os hospitais serão entregues para as organizações que irão contratar os profissionais sem fazer concurso”, disse Basile.

Emprego

Para Balise, Alagoas investiu muito no setor sucroalccoleiro e é necessário um investimento em quem possa gerar emprego e renda. “Tem que investir em quem gera emprego, por exemplo, a agricultura familiar, a ideia é resgatar a EMATER para auxiliar os agricultores, melhorar a eficiência do plantio, para gerar mais emprego e diminuir o êxodo rural, incluindo a implementação de industrialização desses produtos”.

“Temos que criar mais indústrias, substituir as usinas de cana por indústrias de outros setores”, completou o candidato.

Forma de gestão

Balise disse que não irá governar no sistema de loteamento de cargos. “Espero que o povo de Alagoas tenha juízo e não votem nesses candidatos que estão há anos no governo. Vamos governar de forma dura, sem essa negociação de trocas de secretarias de hoje. Os políticos estão acostumados a ter cargos, secretarias, não vamos governar dessa forma. Não podemos lotear os cargos para ter apoio da assembleia”.

Impostos

Para Basile Christopoulos, a gasolina tem um impacto em toda a economia. “Vamos aumentar o imposto sobre herança e diminuir sobre os mais pobres. Reduzir o imposto de combustível e energia elétrica. Isso tem um impacto em toda economia e assim podemos melhorar a qualidade de vida do povo”.

Educação

Para Basile, a realidade da educação é ruim, e melhora aumento salários e número de professores. “Ainda temos poucos professores nas escolas, temos que ter mais, com melhor salários. Um professor pra 20 ou 30 anos tem uma ordem maior no âmbito escolar. E isso diminui o desrespeito com os profissionais”.

Moradia

Christopoulos tem em seus projetos de campanha, um programa estadual de moradia, de articulação de forças entre estado, municípios e federação e acredita que a melhoria da habitação reduz a violência.

“Existem quase 100 mil famílias sem casas. Não existe um plano estadual de prioridades. O estado precisa se responsabilizar. O problema da habitação é o que mais impacta na violência, as organizações criminosas dominam nosso estado. Se as pessoas têm uma moradia decente, gera mais independência dessas pessoas do tráfico de drogas”, afirmou o candidato.

Basile Christopoulos, é doutor em Direito, professor há 11 anos e disputará pela 1ª vez um cargo político pelo PSOL. 

 

Da redação

Compartilhe essa notícia
  • whatsapp

Últimas