sexta-feira, 19 agosto, 2022
HomeAlagoasArapiraquense com lúpus não recebe, há meses, medicação para o tratamento

Arapiraquense com lúpus não recebe, há meses, medicação para o tratamento

A Secretaria do Estado da Saúde, Sesau, informou ao NN1, nesta quarta-feira (24/02), que os medicamentos devem chegar em até 30 dias

Os problemas causados pela pandemia da covid-19 vão além dos infectados. Milhões de pessoas enfrentam uma grave crise econômica, e estados e municípios estão vendo seus sistemas de saúde colapsarem. Além das doenças causadas pelo novo coronavírus, as outras enfermidades precisam de atenção do sistema público de saúde. É o caso de arapiraquenses com lúpus, que não recebem há meses a medicação necessária para o tratamento.

A medicação é distribuída em Arapiraca pelo Componente Especializado em Assistência Farmacêutica, CEAF, de responsabilidade do governo do estado. Os usuários precisam das medicações cloroquina e azatioprina, mas não recebem desde novembro de 2020.

Lúcia Santos, de 47 anos, é uma das usuárias do CEAF, e é paciente em tratamento de lúpus há oito anos.

“Tá uma agonia, em novembro, dezembro, janeiro e fevereiro não recebemos a medicação devida, que é a cloroquina e azatioprina, que é o Estado que fornece. Tá difícil não só pra mim, mas pra todos que dependem dessa medicação”, relata.

Ela explica que está contando com a ajuda de amigos para conseguir comprar os remédios. O custo da medicação mensal é de R$ 200,00, além de exames, protetor solar e uma dieta balanceada. “Eu me viro com ajuda de amigos, família, atraso alguma conta e assim vai, mas é uma bola de neve, pois não é só remédio, é dieta, protetor solar, exames, pois o meu lúpus comprometeu meu rins, cheguei a fazer diálise e graças ao tratamento consegui sair da diálise”.

“Foi o pior ano das nossas vidas em relação a tudo, mas a medicação do tratamento é essencial. Tenho medo, por conta da falta de medicamento, do tratamento fracassar, e a doença evoluir. Depois que tive um progresso extraordinário, não quero regredir, quero viver de uma forma saudável apesar do lúpus”, lamenta.

De acordo com Lúcia, a informação repassada para ela no CEAF é de que por conta da covid-19, e das divulgações de que a cloroquina servia no tratamento, mesmo sem comprovação científica, o medicamento ficou escasso e a secretaria de saúde encontra dificuldade em adquirir o remédio. Porém ela enfatiza que o outro medicamento, a azatioprina, também não está disponível.

A Secretaria do Estado da Saúde, Sesau, informou ao NN1, nesta quarta-feira (24/02), que os medicamentos devem chegar em até 30 dias. De acordo com a Sesau, “a hidroxicloroquina foi adquirida e o Estado está aguardando o medicamento chegar em Alagoas, em um prazo de 15 a 20 dias. Em relação à azatioprina está sendo finalizado o pregão nos próximos dias, e o medicamento deve chegar nos próximos 30 dias”.

Lúpus

Lúpus é uma doença inflamatória e autoimune que pode afetar múltiplos órgãos e tecidos, como pele, articulações, rins, cérebro e outros órgãos, causando fadiga, febre e dor nas articulações. Seu nome científico é lúpus eritematoso sistêmico (LES).

Os medicamentos que agem na modulação do sistema imunológico no LES incluem os corticóides (cortisona), os antimaláricos e os imunossupressores, em especial a azatioprina, ciclofosfamida e micofenolato de mofetila.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS