terça-feira, 26 outubro, 2021
InícioBrasilBrasil é líder em propagação de fake news sobre medicamentos contra a...

Brasil é líder em propagação de fake news sobre medicamentos contra a Covid-19 no mundo

Mais de 70% das fake news criadas sobre a cloroquina, a partir de maio, tiveram origem no país, segundo a pesquisa

O Brasil lidera o compartilhamento de desinformação sobre medicamentos contra a Covid-19 no mundo. É o que aponta um levantamento feito a partir da base de dados do International Fact Checking Network, rede de especialistas e jornalistas unidos no combate às fake news, revelado pelo blog do colunista do Globo Ancelmo Gois.

Como se não bastasse ser o segundo em mortes por Covid-19 no planeta, com 169.541 óbitos nesta terça-feira (24/11), perdendo apenas para os Estados Unidos, e ocupar o terceiro lugar no pódio em número de infectados pelo novo coronavírus (6.088.031 casos confirmados), o Brasil ganhou medalha de ouro em desinformação no meio de uma pandemia.

A pesquisa está no relatório ‘Scientific (self) isolation’, feito pelos especialistas Caio Vieira Machado, Nina Santos, Luiza Bandeira e João Guilherme Bastos dos Santos, por meio da parceria entre INCT.DD, Laut, Digital Forensic Research Lab e Vero.

O país lidera na tentativa de enganar a população com notícias erradas sobre a eficácia de medicamentos. Mais de 70% das fake news criadas sobre a cloroquina, a partir de maio, tiveram origem no país, segundo a pesquisa. Parte do próprio presidente Jair Bolsonaro a propagação de algumas notícias falsas sobre o medicamento.

Em agosto, Bolsonaro afirmou que o uso da cloroquina poderia ter salvado as mais de 100 mil vidas perdidas no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus até aquele momento. Contudo, não há até hoje comprovação científica da eficácia da droga no tratamento da Covid-19. O texto com a declaração presidencial foi publicado pelo site bolsonarista Pública Brasil no dia 13 de agosto e teve 1,6 mil interações em menos de 24 horas, segundo a Folha de S. Paulo.

Outro detalhe do tipo de desinformação que consta do levantamento revela que os alvos recorrentes das notícias falsas não são o presidente, mais sim os governadores. Das 102 menções feitas a ‘governadores’ em todo o mundo, metade saíram do Brasil.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS