19/03/2019 às 12h03min - Atualizada em 19/03/2019 às 12h03min

Uma vitória em dez jogos é muito pouco

José Rocha
NN1
Acabou o campeonato alagoano 2019 para o ASA. Infelizmente na temporada deste ano, pelo menos até agora, o alvinegro praticamente só trouxe frustrações e tristezas para a sua torcida. Acho que a única alegria proporcionada ao torcedor este ano foi aquela vitória contra o CBR. Nada mais que isso.

Ficar na penúltima posição entre os oito participantes do alagoano, vencer apenas uma partida em dez jogos nesta temporada, incluindo os amistosos, é muito pouco para uma equipe que já chegou a ser a principal força do futebol alagoano e por isso mesmo o nome de Gigante.

Apesar do fracasso até agora, o calendário do ASA ainda não acabou neste ano, porque resta a série D que começa no próximo dia cinco de maio e é exatamente aí onde a diretoria e os verdadeiros apaixonados por esta equipe devem investir suas últimas fichas.

Ficar se lamentando ou apontando culpados a essa altura nada resolve. Aprender com os erros e não repeti-los, isso sim, no meu modo de ver ajudará juntar os cacos e partir para o início de uma nova história. De preferência começando pelo que se tem de concreto e assegurado, financeiramente falando.

A prefeitura de Arapiraca, através do prefeito Rogerio Teófilo, já assinou um termo se responsabilizando pela quantia de 945 mil reais, pagos em parcelas até o final deste ano e além disso há outros patrocinadores. Portanto, numa soma geral a direção terá no mínimo um milhão de reais para investir na equipe que disputará a série D.

Fazer futebol hoje em dia custa caro, mas um milhão de reais ainda é muito dinheiro. Se bem investido e com um pouco de sorte, pode sim pensar em subir para a série C, que aliás, não resta outra opção caso queira desenhar um melhor calendário para o próximo ano, porque no memento, a única competição garantida para o ASA em 2020 é o Alagoano, cujo campeonato acaba rápido, ainda mais pra quem fica na primeira fase.

Criticar a direção, excomungar os jogadores e comissão técnica, nesse momento não ajuda em nada, apesar de tudo isso ser um direito assegurado à torcida que paga ingresso, principalmente ao sócio torcedor. O momento é de cobrar planejamento porque quem assume determinados cargos tem que estar preparado pra isso.
Relacionadas »
Comentários »