21/07/2019 às 23h05min - Atualizada em 21/07/2019 às 23h05min

Nove por uma e uma por 53 milhões e meio

Tempos difíceis fazem pessoas mais fortes

Thiago Abel.

Agencia Brasil.
Força é uma palavra pequena, mas que possui um significado enorme, costumam dizer até que ela aparece sempre quando a gente mais precisa, como diz o velho ditado, "tempos difíceis fazem pessoas mais fortes".

2019 já provou que vai ficar na história e que durante muitas décadas lembraremos dos dias tensos desse ano. Na penúltima semana do mês de julho o país voltou a debater as atrapalhadas falas do presidente Jair Bolsonaro, que em um único café da manhã com jornalistas internacionais conseguiu tripudiar da fome no Brasil, mentir sobre a trajetória de vida da jornalista Mirian Leitão, ofender a Região Nordeste e comprar briga com o governador do Maranhão Flávio Dino.

Sem dúvida a repercussão sobre a fala de Jair em relação ao Nordeste vem reforçar uma tendência interessante, os governadores dos estados nordestinos estão em uma sintonia poucas vezes vista na história do Brasil. Governando 9 estados da federação, quase 20% do território e quase 30% da população nacional, esses oito homens e uma mulher estão dizendo claramente que estão jogando junto em temas essenciais para um pedaço do Brasil marcado historicamente pelo esquecimento político e desigualdade social.

Três eventos merecem destaque nesse caminho que está bonito de ver: 1) O grupo tem debatido a viabilidade de retomar a parceria com a Organização Pan-americana de saúde (OPAS) para viabilizar a contratação de médicos estrangeiros e suprir a lacuna deixada pelo esvaziamento do "Mais Médicos" que não obteve efetividade depois das mudanças anunciadas pelo atual governo em 2019 e deixou cidades do interior sem atendimento médico; 2) Na votação da reforma da previdência a equipe nordestina fechou questão em analisar a proposta levando em conta as características específicas como a gritante diferença da expectativa de vida nacional e da região; 3) E pra fechar com chave de ouro, o grupo dos nove assinou uma carta repudiando a fala o presidente que ao usar o termo “paraíbas”, traz a tona um termo pejorativo usado na Região Sudeste para se referir aos nordestinos e que mostra todo o desconhecimento e carga de discriminação sobre a região.

Essa é uma demonstração de força, de solidariedade e acima de tudo, de consciência da importância absoluta que esse pedaço do país tem. Ao se unirem, os estados nordestinos têm uma chance única de alavancar o desenvolvimento, promover a integração regional, combater as mazelas históricas que assolam a região e o mais importante, evidenciar o protagonismo que precisamos e merecemos no cenário nacional.
 
Se os tempos estão difíceis e seria loucura comemorar fase ruim, ao menos tiremos uma lição disso tudo, ao passar pelo fogo o ferro fica firme e ganha resistência e sem dúvidas, saímos mais fortes que entramos de uma crise.

Parafraseando o filósofo e crente que temos muito a ganhar com essa sintonia e força coletiva do grupo dos nove arretados a ideia é: Governadores do Nordeste inteiro, uni-vos!

Relacionadas »
Comentários »