17/09/2019 às 08h22min - Atualizada em 17/09/2019 às 08h22min

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Não há desenvolvimento sem melhorar a condição de vida das pessoas

Ricardinho Santa Ritta

Reprodução Internet
A ONU, Organizações das Nações Unidas, estabeleceu um conjunto de metas para o que chamam de “Agenda 2030”. O intuito é realizar uma ‘Década Vencida’ na melhora de indicadores sócioeconômicos. Para isto foram estabelecidos os 17 ODS, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Segundo uma amiga ambientalista “se não for sustentável, não é desenvolvimento”. Porém, polêmicas à parte, o ambiente urbano recebeu a Meta 11, ou melhor o ODS 11, com o título 'Cidades e Comunidades Sustentáveis'.

Dos conceitos que baseiam o ODS 11 estão a implantação de serviços públicos que atendam aos anseios da população de maior grau de vulnerabilidade. A exemplo de transporte público atentos às especificidades de idosos, crianças e portadores de necessidades especiais. Também é dada importância para melhorias em condições de habitação, com padrão de dignidade suficiente. A ONU Habitat possui em Alagoas o projeto “Vida Nova nas Grotas” que tem como foco requalificar espaços urbanos degradados em Maceió.

Um dos desafios mais percebíveis na gestão das cidades é o saneamento básico. Pelo conceito, se diz que faz parte do saneamento básico das cidades a coleta de esgoto, tratamento de água, absorção de águas pluviais e resíduos sólidos. A sociedade moderna possui costumes que demandam atenção aos resíduos gerados. Efluentes líquidos são o principal vilão do ecossistema natural.

No Brasil a rede de tratamento de esgoto é o índice que mais demanda avanços e investimentos. Este é o desafio mais urgente em pleno Século XXI. Metade da população brasileira não possui coleta de esgoto. São 35 milhões sem água potável na torneira. E cada R$ 1 investido no saneamento são economizados R$ 4 em saúde e gerados R$ 2,50 na economia. Ou seja, é um desafio que promove avanços claros.

As construções sustentáveis, chamada de "arquitetura verde e azul", dotam as cidades de resiliência, que se tornou palavra de ordem no combate aos impactos das mudanças climáticas. Com períodos de chuva escassos e com chuvas torrenciais em curto espaço de tempo, temos corriqueiramente quadras chuvosas que testam os limites físicos da infraestrutura urbana.

O desenvolvimento sustentável é perseguido por empresas, sociedades e agora se torna uma premissa da gestão pública. Parametrizado pela ONU e adotado como ponto de partida, caminho percorrido e chegada. Há de ressaltar que o ambiental e o social estão atrelados. Não há desenvolvimento sem melhorar a condição de vida das pessoas. Afinal de contas o ambiente que estamos inseridos é a nossa casa, o planeta Terra, e com uma sociedade cada vez mais urbana é hora de iniciar essa cruzada para vencer a próxima década.

2030 é logo ali!

Relacionadas »
Comentários »