24/03/2020 às 17h58min - Atualizada em 24/03/2020 às 17h58min

CORONAVÍRUS: Entenda sobre a prorrogação de dívidas e financiamentos durante a crise

Bancos anunciam suspensão ou prorrogação de prazos de pagamento

Bárbara Camila
Foto: Reprodução Internet

A COVID-19 (ou coronavírus) vem trazendo bastantes incertezas à vida dos brasileiros. Em meio a esta crise, um dos principais vilões são os contratos de financiamentos, empréstimos e dívidas de cartão de crédito que podem entrar em atraso, tendo em vista a paralisação de grande parte do comércio nas cidades, por determinação dos governos estaduais.

Pensando nisso, as instituições financeiras passaram a adotar alternativas para que seus clientes negociem ou suspendam a cobrança de seus contratos vigentes por alguns dias, com o objetivo de amenizar os efeitos negativos na economia do país.

A revista Exame, publicada no dia 20 de março, expôs algumas das propostas anunciadas por estas instituições, são elas: 

- Os bancos Caixa, Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil anunciaram a possibilidade de prorrogarão, por 60 dias, os vencimentos de dívidas de clientes pessoas físicas, micro e pequenas empresas;

- Além disso, a CEF anunciou algumas outras medidas como: redução de taxa de juros nas linhas de crédito pessoal (crédito consignado a partir de 0,99% ao mês, penhor a partir de 1,99% ao mês e CDC a partir de 2,17% ao mês);

- Pausa estendida de até duas prestações dos contratos habitacionais (física ou jurídica);

- Redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% ao mês, e nas operações parceladas de capital de giro, a renegociação terá carência de até 60 dias (micro e pequenas empresas).


Outras alternativas

Além disso, o banco Santander também aumentou em 10% os limites dos cartões de crédito de todos os clientes adimplentes. O Banco Safra lançou uma linha de crédito especial, com o intuito de evitar a retirada de fundos de investimentos.

Já o banco Original oferece taxa zero para pagamento de boletos efetuados no cartão de crédito, redução de juros para o parcelamento voluntário do cartão de crédito e prazo de 60 dias para pagamento de parcela de renegociação de dívidas, além de prazo de 60 dias para parcelamento de saldo de contratos em dia.

Se o banco que você mantém relacionamento não está elencado acima, entre em contato pelo telefone ou procure no site da instituição financeira.

Cumpre informar que é de extrema importância, antes de fazer qualquer negociação, ler e entender os termos que estão sendo pactuados para não cair em falso benefício financeiro.

Relacionadas »
Comentários »