30.6 C
Arapiraca
Quinta-feira, 25 Abril, 2024

Ex-magnata das criptomoedas é condenado a 25 anos de prisão nos EUA

O cofundador da plataforma FTX Sam Bankman-Fried, acusado de cometer a “fraude da década”, foi condenado a 25 anos de prisão nos Estados Unidos. A sentença foi anunciada na tarde desta quinta-feira (28), pelo juiz Lewis Kaplan. O responsável pela sentença afirmou que o ex-bilionário agiu “com ambição” e “sem remorso”. Bankman-Fried já foi um dos executivos mais proeminentes do setor de criptomoedas, relacionando-se com reguladores e políticos na tentativa de se retratar como o rosto respeitável de uma indústria indisciplinada. SBF, como é conhecido, foi considerado culpado por sete crimes, incluindo fraude, conspiração e lavagem de dinheiro.

Ele foi acusado em novembro de 2023 por roubar US$ 8 bilhões em fundos de clientes de sua plataforma para fazer apostas arriscadas. Vestido com um uniforme de prisão bege, Sam expressou remorso em um discurso ao tribunal antes da sentença ser lida. Seus advogados pediram uma pena mais leve, de até seis anos e meio, enquanto os promotores solicitaram até 50 anos de prisão. A FTX entrou com pedido de falência em 2022, após um déficit de US$ 8 bilhões em seu balanço.

Da tribuna, o réu afirmou existirem “recursos suficientes” para compensar os clientes prejudicados pelo colapso da FTX e reconheceu ter errado. “Eu tomei uma série de decisões ruins. Houve vários erros que eu cometi”, disse SBF ao juiz, antes de se dirigir a ex-colegas de empresas que testemunharam contra ele durante o processo. “Sei que várias pessoas se sentem desapontadas. Elas construíram algo muito bonito, se dedicaram a isso e depois eu joguei tudo fora. Isso me amedronta todos os dias”. Embora o ex-guru da criptomoeda tenha argumentado que simplesmente não conseguiu administrar o negócio e não ordenou nenhuma ação ilegal em suas empresas, seu depoimento foi desmentido pelos demais envolvidos no processo.

*Conteúdo produzido com auxílio de IA

Fonte: Jovem Pan