segunda-feira, 20 setembro, 2021
InícioGeralFaxineira é estuprada pelo patrão e pula de prédio para fugir

Faxineira é estuprada pelo patrão e pula de prédio para fugir

Caso aconteceu em Teresina, no Piauí

Uma mulher contratada como diarista por um advogado, saltou da sacada do apartamento em que foi atendê-lo para fugir de uma tentativa de estupro em Teresina, no Piauí. O suspeito do crime é Jefferson Moura Costa, preso em flagrante no dia 14 de julho (14/07), após imagens da câmera de segurança do seu prédio registrarem a tentativa de fuga da mulher.

No dia do crime, a mulher contou à polícia que foi chamada para fazer faxina no apartamento do advogado. Quando estava limpando o imóvel, foi atacada por ele e acabou sendo estuprada. Ela conseguiu fugir ao saltar da sacada.

A vítima passou por exames no Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS) que confirmaram o crime. Nos vídeos registrados pela câmera de segurança do prédio, é possível ver a diarista chegando ao condomínio acompanhada do advogado. Eles caminham no estacionamento e entram pela porta de acesso às escadas.

Horas depois, as câmeras registram ela aparecendo diversas vezes na varanda do apartamento e olhando para baixo. As câmeras não registraram o momento em que ela pula da sacada, mas ela corre para o hall do condomínio para pedir ajuda.

À polícia, a vítima contou que foi ameaçada de morte logo após o estupro. Ela relatou que ele ameaçou atirar nela caso ela o denunciasse. A diarista contou que fingiu limpar o apartamento enquanto pensava numa maneira de fugir do local. De acordo com a vítima, ela aproveitou um momento de distração do advogado, que havia sentado em um sofá e começado a ler um livro, para fugir.

Ao chegarem no local, policiais militares ainda flagraram o homem com outra mulher, que também era faxineira. Além da diarista, outras quatro mulheres denunciaram terem sido vítimas do advogado, que foi transferido para a Penitenciária Irmão Guido após ter prisão preventiva decretada.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Piauí, decidiu suspender o registro de Moura Costa, e a entidade também abriu um processo disciplinar para investigar a conduta do suspeito.

O advogado já responde por um homicídio de um cabo do Exército ocorrido em abril de 210, em Picos, no sul do Piauí. Ele chegou a ser preso pelo crime, mas foi colocado em liberdade e o caso ainda não foi julgado.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS