terça-feira, 9 agosto, 2022
HomeDestaquesMulher é presa após tentar aplicar golpe em policial civil dentro de...

Mulher é presa após tentar aplicar golpe em policial civil dentro de supermercado em Maceió

Estelionatária utilizava cheques sem fundos. Delegado disse que há a participação de outras pessoas do estado do Goiás

Uma mulher, de 36 anos, foi presa pela prática do crime de estelionato, nesta terça-feira (26/01). De acordo com o delegado, a mulher, que é do estado de Goiás, foi presa depois de tentar aplicar um golpe em um policial civil. A prisão foi feita por policiais civis da Divisão Especial de investigação e Capturas (DEIC), TIGRE e Seção de Capturas, sob o comando do delegado Gustavo Xavier. A prisão ocorreu no interior de um supermercado, em Maceió, capital de Alagoas.

Ela viu o anúncio de venda de dois relógios feito pelo policial em um site, daí ela marcou com ele para efetuar a compra em um supermercado, no bairro de Mangabeiras, e só queria pagar com cheque. O agente da PC desconfiou e deu voz de prisão contra a investigada.

Depois de presa, os policiais foram com a mulher, que é do estado de Goiás, até a pousada, próximo ao Terminal Rodoviário de Maceió, onde ela estava hospedada e aprenderam várias folhas de cheque sem serem preenchidos, e em diversos nomes, um relógio e o microfone que a investigada comprou ilegalmente com cheque falso.

“Em continuação a investigação, os policiais civis conseguiram localizar o proprietário do relógio, como também o comparsa da investigada, que ela conheceu no presídio da cidade de Palmas (TO), onde o mesmo já foi preso com outra mulher aplicando o mesmo golpe. Foi descoberto também que a investigada já veio da cidade de Salvador (BA), onde estava aplicando golpes, e o que conseguiu ilegalmente entregou ao seu comparsa”, frisou o delegado Gustavo Xavier.

A mulher foi conduzida para a sede da DEIC, no bairro da Santa Amélia, para ser ouvida e prestar mais informações sobre a conduta criminosa. O delegado disse ainda que a estelionatária apresentava-se como compradora e, durante o pagamento, agia de forma fraudulenta com a utilização de cheques sem fundos e que há a participação de outras pessoas do estado do Goiás.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS