07/10/2019 às 17h31min - Atualizada em 07/10/2019 às 17h50min

Desembargador Washington Luiz julgará prisão do prefeito de Delmiro Gouveia

Padre Eraldo e outras oito pessoas tiveram pedido de prisão protocolado pelo Ministério Público

Luciano Amorim - Com assessoria
Arquivo NN1
O desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas será o responsável pelo julgamento do pedido de prisão preventiva requerido pelo Ministério Público Estadual (MPE) em desfavor do prefeito de Delmiro Gouveia, padre Eraldo Cordeiro (PSD). O pedido foi feito pelo Procurador-Geral do Estado, Dr Alfredo Gaspar de Mendonça, após operação executada por desvio de recursos públicos no âmbito da prefeitura.

Além do padre Eraldo, o pedido formulado pelo Procurador-Geral pede ainda prisão preventiva de mais seis vereadores: Kel (PSB), Fabíola Marques (PSL), Kinho (PRP), Júnior Lisboa (MDB), Casa Grande (PPS) e Marcos Costa (MDB); do ex-vereador Valdo Sandes, do ex-secretário conhecido como Silvinho e do empresário Bruno Lobo. Outros 57 servidores públicos municipais de Delmiro também foram afastados de suas funções por envolvimento nos desvios.

Segundo o TJ, não há prazo para o julgamento dos pedidos de prisão pelo desembargador. A pedido do MPE, os trâmites do julgamento ocorrerão sob segredo de justiça. Washington Luiz pode julgar o pedido de forma monocrática, ou submetê-los ao pleno do Tribunal.

Em março deste ano, O Ministério Público deflagrou uma operação na prefeitura para cumprir mandado de busca e apreensão no próprio órgão e nas secretarias de finanças, administração e na Comissão Permanente de Licitação, tendo o padre Eraldo Cordeiro como principal investigado. Grande quantidade de documentos, contratos, processos de pagamentos, livros de procedimento e relatórios entre os anos de 2017 e 2019 estão sendo recolhidos. Os contratos avaliados chegam a R$ 20 milhões.
Notícias Relacionadas »
Comentários »