06/11/2019 às 19h34min - Atualizada em 06/11/2019 às 19h34min

Quadrilha estupra e mantém adolescentes de 14 e 15 anos em cárcere privado por três dias

Caso aconteceu durante o fim de semana em Arapiraca; polícia investiga o paradeiro dos acusados

Da Redação
Foto: NN1
As Polícias Militar e Civil, em parceria com o Conselho Tutelar de Traipu, investigam um caso de sequestro e crime de estupro contra duas adolescentes. Uma das vítimas conseguiu fugir da casa onde era mantida refém e denunciou a situação.
 
De acordo com o relato da adolescente, de 15 anos, tudo começou quando ela tentou encontrar um rapaz com quem tinha contato virtual, no bairro Bom Sucesso, em Arapiraca. Na espera pelo indivíduo, três homens se aproximaram em um carro preto, modelo não identificado, e forçaram a entrar no veículo. Dentro deste, já havia uma outra adolescente na mala do carro, de 14 anos, também sendo feita refém.
 
A vítima conta que foi dopada pelos homens, e que quando acordou estava em um quarto desconhecido, enrolada em um lençol. Com ela, estava a outra vítima de 14 anos. As duas foram constantemente medicadas para estarem inconscientes, e ali permaneceram por aproximadamente três dias, sendo abusadas pelos três criminosos. Os homens estavam encapuzados, um deles armado, e outro que a vítima acredita que seja idoso.
 
Na segunda-feira (04/11), estando mais lúcida dos sedativos e percebendo que os três não estavam mais no local, a jovem de 15 anos conseguiu arrombar a porta da casa abandonada. Ela chamou a outra vítima no local, mas esta lhe disse que não fugiria, pois os homens ameaçavam matar seus pais. A mais velha conseguiu pular o muro da casa e fugir.
 
Um mototaxista encontrou a jovem e lhe ajudou, levando-a para a casa da mãe, na zona rural de Traipu. A denúncia foi feita nesta quarta (06/11), junto ao Conselho Tutelar do município, que acionou a Polícia Militar.
 
As entidades trouxeram a menina para Arapiraca, onde foi atendida por uma psicóloga no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e em seguida atendida no Hospital de Emergência do Agreste para tratar machucados e ser medicada em prevenção a doenças.
 
Polícias Civil e Militar estão atuando em conjunto buscando o local onde o crime foi relatado e seus criminosos responsáveis. A garota não conseguiu informar a localização precisa de onde tudo aconteceu, devido a seu estado de consciência durante os abusos.

O NN1 teve acesso a informação de que existem relatos de outros casos recentes ocorridos na região, onde também foi usado um carro preto para sequestro e abuso de adolescentes, fazendo crer que pode haver uma quadrilha especializada nesse tipo de ação criminosa atuando na cidade.
Notícias Relacionadas »
Comentários »