24/03/2020 às 08h06min - Atualizada em 24/03/2020 às 08h06min

Da loucura ao medo: Papu acredita que Champions pode ter contribuído para desastre

Bérgamo vive um momento super delicado

Jânio Barbosa - com O Gol
Foto: Divulgação
Papu Gómez vem sendo um dos grandes nomes da Atalanta nas últimas temporadas. O meia argentino está em Bérgamo, região duramente afetada pelo coronavírus na Itália, e relata como é a realidade da cidade. "Os hospitais estão cheios e não há mais lugar para os doentes".

"Outro dia os militares vieram para levar os caixões com os mortos para cremá-los em outro lugar porque não há espaço nos cemitérios. É muito duro! Todas as manhãs acordo para ver as notícias e são sempre ruins", relatou o jogador ao jornal argentino Olé. "É uma situação dramática porque há muitos contágios por dia. A quarentena está sendo muito respeitada, mas ainda há um pouco de gente nas ruas".

"Houve uma polêmica com quem sai na rua para fazer exercícios, porque saem para correr nas praças, e não é assim. Eu, que sou esportista e é meu trabalho, não saio para correr... Mas o que me chama a atenção é que, apesar de não haver quase gente na rua, segue havendo uns 600, 700 casos por dia na Itália", completou.  Na última estimativa, foram quase cinco mil casos a mais de 601 mortes. Dia 10 de março, Papu esteve em campo na vitória da Atalanta sobre o Valencia, pela Liga dos Campeões, no Mestalla.

O argentino ainda teme que possa ter sido infectado, já que alguns jogadores e membros da comissão técnica do Valencia testaram positivo (os sintomas podem levar duas semanas para aparecer). "Estamos todos esperando para ver se algum de nós tem algum sintoma. Até agora, ninguém. Mas ter jogado aquelas partidas foi terrível. Ainda não se sabia direito o que era o vírus, sobre o contágio e o quão sério que tudo era", revelou o jogador, que acredita que as partidas contra os espanhóis, pela Liga dos Campeões, podem ter contribuído para Bérgamo ser um dos lugares do mundo com mais casos do vírus.

"Acredito que a situação de Bérgamo hoje, sendo um dos lugares mais contagiados, pode ter a ver com ter aqui um dos melhores hospitais da região da Lombardia, e muita gente vem ser atendida aqui. Mas também com a partida de ida que jogamos com o Valencia. Temos 120 mil habitantes na cidade, dos quais 45 mil foram a Milão ver o jogo. Foi algo histórico para o clube e foi uma loucura. Para se ter uma ideia, minha mulher levou três horas para chegar em Milão quando, normalmente, leva 40 minutos", contou.

Desde então, o argentino está de quarentena em casa. Papu faz exercícios na residência e mantém contato com os companheiros de clube, alguns dos quais que se encontram nas dependências da Atalanta. 

"Por sorte, mudamos faz uns dois anos para uma casa que tem um terraço e uma área verde para sair um pouco com as crianças quando o dia  está bonito, apesar de, entretanto, fazer um pouco frio, porque a primavera está começando. Tratamos de não sair de casa. Minha mulher foi na farmácia outro dia e pedimos supermercado online, mas até isso está ficando difícil porque o site do mercado está em colapso", relatou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »