02/04/2020 às 14h50min - Atualizada em 02/04/2020 às 14h50min

​Ministério da Saúde pede que toda a população use máscaras, até mesmo caseiras

Recomendação mudou; no início, pedia-se que apenas pessoas com sintomas usassem o dispositivo

Da Redação - com G1
Esculturas de Jorge Amado e Zélia Gattai, em Salvador, amanheceram na terça-feira (31/03) com máscaras cirúrgicas. — Foto: André Uzêda / TV Bahia
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mudou as orientações e agora pede que todas as pessoas usem máscaras, ainda que sejam fabricadas em casa. Isso aconteceu após ser percebido que países que adotaram o uso de máscaras em toda a população têm conseguido frear os números de contágio do coronavírus. Mandetta enfatizou ainda que a população evite comprar máscaras N95 e cirúrgicas, para que não faltem aos profissionais de saúde.
 
 
Por que antes as máscaras não eram recomendadas para a população em geral?
 
Seguindo orientações da OMS, o Ministério da Saúde e a maioria dos especialistas apontavam o risco de um uso irregular das máscaras pela população em geral. Não utilizada da maneira correta, a máscara pode ficar contaminada e expor as pessoas ao coronavírus.
 
Outra preocupação da pasta era quanto à falta do produto no mercado, já que inúmeros profissionais da saúde denunciavam que não estavam tendo acesso às máscaras e outros itens de segurança individual. A dificuldade na importação dos produtos da China é um ponto de atenção.
 
 
O que afirmam os que são a favor do uso geral das máscaras descartáveis?
 
As máscaras descartáveis foram recomendadas para uso geral em outras epidemias na Ásia, como a de H1N1, depois que estudos mostraram que o item, quando associado com lavar as mãos e evitar aglomerações, diminuía as transmissões de gripe.
 
Isso porque, mesmo que seja uma barreira de baixa proteção, ainda é uma barreira, se usada da maneira correta e junto das demais medidas de proteção. Além disso, no caso do coronavírus, como muitas pessoas infectadas não apresentam sintomas e não sabem que estão com a Covid-19, a máscara para uso geral pode ajudar a conter a transmissão causada pelas pessoas que não têm sintomas.
 
 
Não tenho Covid-19. A máscara cirúrgica pode me proteger?
 
De forma limitada, mas pode. Isso porque o coronavírus é transmitido através de gotículas eliminadas por meio da tosse, espirro ou pela fala. Apesar de não filtrarem o ar, a máscara descartável pode servir de barreira para impedir que essas gotículas entrem em contato com as mucosas da boca e do nariz.
 
“A máscara também ajuda a evitar que a pessoa encoste a mão no rosto”, diz o epidemiologista André Ricardo Ribas Freitas, professor da Faculdade São Leopoldo Mandic.
 
"Acho que máscaras de pano para os comunitários funciona muito bem como barreira. Não é caro de fazer, faça você mesmo, tem na internet, faça você mesmo e lave com água sanitária, ou o nome que você conhece", disse Mandetta.
 
 
Como devo usar a máscara?
 
Independentemente de quem fizer uso do acessório, tendo ou não sintomas, a Anvisa alerta que é fundamental higienizar as mãos com água e sabonete ou álcool 70% antes e após usar a máscara.
  • Com as mãos lavadas, é preciso colocar a máscara sobre o rosto de modo que cubra tanto queixo quanto nariz;
  • A máscara não pode ficar frouxa no rosto. Para isso, uso o acessório de metal na parte superior da máscara para aderi-la ao nariz para evitar entrada e saída de ar;
  • Durante uso, não se deve tocar na máscara. Por isso, não é recomendado que se tire e coloque a máscara e nem que ela seja removida durante a fala;
  • Quando for retirar a máscara, a pessoa não deve encostar a mão no tecido, apenas nas alças laterais que ficam acopladas à orelha.
 
 
De quanto em quanto tempo devo trocar a máscara?
 
Todas as máscaras de uso caseiro, sejam as descartáveis ou de tecido, precisam ser substituídas assim que ficarem úmidas. “Quando a máscara fica úmida, perde a capacidade filtrante e precisa ser trocada”, diz Freitas. “Por isso, se a pessoa passa uma boa parte do tempo fora de casa, é ideal ter 4 máscaras para fazer a troca”, diz Freitas.
Notícias Relacionadas »
Comentários »