07/04/2020 às 08h09min - Atualizada em 07/04/2020 às 08h09min

Quando guerras e outras doenças também afetaram o futebol

Agora é a pandemia do novo coronavírus que paralisou não só futebol mas o mundo

Jânio Barbosa - com O Gol
Foto: Getty / A.R Coster
Os efeitos do coronavírus têm afetado a sociedade como um todo, desde a economia, passando pelo turismo até chegar ao futebol. Poucos locais têm se arriscado a manter seus campeonatos, mas esta não é uma novidade para o esporte criado há mais de 150 anos.

Assim como o mundo, o futebol também enfrentou guerras, doenças, protestos e os mais variados tipos de eventos sociais que você pode imaginar. Algumas vezes ele parou, em outras foi adiado e agora tem sido jogado também sem público.

Neste momento, o esporte está paralisado praticamente por todo o globo, não só o esporte, mas o mundo. E no passado, onde e quais foram os eventos históricos que afetaram o futebol?

Primeira Guerra Mundial

O futebol estava em suas primeiras décadas quando a Primeira Guerra Mundial teve início, em 1914. Muitos países ainda não possuíam ligas estruturadas e poucos eram os campeonatos entre seleções. No entanto, na Inglaterra, onde a bola já rolava oficialmente pelo Campeonato Inglês desde 1888, a guerra teve como efeito colateral a não realização da competição de 1916 a 1920.

Vem também da Primeira Guerra Mundial uma das histórias mais bonitas que exemplificam a dimensão desse esporte. Na véspera do natal de 1914, houve uma trégua entre soldados ingleses e alemães, especificamente para celebrar a data com uma partida de futebol. Não por acaso, o exército britânico contou ao longo da guerra com alguns futebolistas, como o caso de Vivian Woodward, do Chelsea, que inclusive defendeu a seleção em duas edições das Olimpíadas. 

Gripe espanhola

Há mais de 100 anos, 102 para ser mais preciso, o Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1918, previsto para acontecer no Brasil, teve de ser adiado em decorrência da Gripe Espanhola. Estima-se que a doença, pandemia mais letal da história da humanidade, matou de 50 a 100 milhões de pessoas por todo o mundo.

O Campeonato Sul-Americano, hoje conhecido como Copa América, foi disputado no ano seguinte, em 1919, no mesmo país sede. O Brasil acabou por se sagrar campeão em casa, contra o Uruguai, com um gol de Arthur Friedenreich, artilheiro daquela edição. 

Segunda Guerra Mundial

Em setembro de 1939, a invasão alemã a Polônia dava início à Segunda Guerra Mundial. Grã-Bretanha, depois Estados Unidos e União Soviética, formariam uma aliança para controlar Alemanha, Japão e Itália. Com isso, o futebol acabou por ser paralisado nos principais centros europeus e as Copas de 1942 e 1946 não puderam ser disputadas.

No Brasil, a bola continuou a rolar durante todo o período da guerra com os campeonatos estaduais, mas tivemos jogadores que interromperam a carreira para ingressar na guerra. José Perácio, que disputou a Copa de 1938, esteve em combate com a Força Expedicionária Brasileira, em 1944. No retorno, seguiu com a carreira de futebolista.

Guerra Civil Espanhola

O futebol espanhol não foi paralisado com a Segunda Guerra Mundial mas, sim, pela Guerra Civil que acometeu o país de 1936 a 1939. A Liga Espanhola foi cancelada e ocorreram alguns torneios regionais em 1937, como a Liga Mediterrânea de Futebol, entre clubes da região da Catalunha e Valência.

Depois disto, a Espanha mergulhou numa grave crise social que culminou com a subida ao poder do ditador Francisco Franco. Até então, o Athletic de Bilbao era o maior vencedor na Espanha com quatro ligas nacionais e 14 troféus na Copa da Espanha.

Hooligans

Em 1985, uma tragédia mudaria o futebol para sempre. O drama de Heysel, com a briga entre as torcidas de Liverpool e Juventus, na final da Liga dos Campeões, na Bélgica, mudou a forma como clubes, federações e governos passaram a lidar com a segurança e a organização. O futebol não parou na Europa, mas os times ingleses que sofriam com os temidos hooligans, ficaram impedidos de disputar as competições europeias por um período de cinco anos.

O Liverpool sofreu punição ainda mais severa, sendo excluído por seis temporadas. Foram criadas medidas de prevenção à violência, como identificação de torcedores, sistema de monitoramento nos estádios, e trabalho de inteligência. Com essas mudanças, o panorama do futebol futebol inglês virou outro. Estádios mais modernos, seguros, e um campeonato tido como um dos mais bem organizados do planeta.

Protestos no Chile

Não é preciso viajar tanto no tempo para encontrar um momento em que o futebol teve que ser interrompido. No Chile, em 2019, as competições terminaram antes do previsto pelos protestos que ficaram conhecidos como "Primavera do Chile" ou "Revolução dos 30 pesos", que teve o ápice no dia 18 de outubro.

Assim, o Campeonato Chileno, que deveria correr até a 30ª rodada, foi finalizado entre a 24ª e a 26ª. Isso, inclusive, culminou no fato de não haver equipes rebaixadas. A Universidad de Chile, um dos clubes mais tradicionais do país, por exemplo, cairia com um jogo a menos que o Deportes Iquique.

Agora, em 2020, a competição possui 18 equipes, e não 16 como ocorria tradicionalmente, já que nenhum clube desceu, e dois conseguiram o acesso da Segunda Divisão.
Notícias Relacionadas »
Comentários »