31/07/2020 às 10h29min - Atualizada em 31/07/2020 às 10h29min

Arapiraca: safra de fumo 2020/2021 deve sofrer queda no preço final

O produto ainda é o principal cultivado pela agricultura familiar no município do agreste

- Da redação com Eduardo Cardeal
Foto: Genival Silva

A agricultura familiar em Arapiraca, como esperado, também foi atingida, por conta do fechamento da economia em todo o estado, em virtude da pandemia da covid-19. Segundo José Humberto da Silva, diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, o principal produto cultivado pelas famílias na cidade, ainda é o fumo. “A cultura básica, a que movimenta a economia da nossa cidade, através desse setor, ainda é o fumo. Porque ela ainda agrega muitos agricultores, gera empregos diretos e indiretos, impactando em vários setores”, explicou.

No início de janeiro, uma estimativa do Sindicato Rural de Arapiraca, já apontava que em 2019, cerca de 17.375 toneladas de fumo foram produzidas, em uma área total de 15 mil hectares. Os números do ano passado, representaram um crescimento de aproximadamente 579%, se comparados às 3.000 toneladas produzidas em 2018. Foi o primeiro ano de levante da produção, depois de sucessivas quedas, que tiveram início em 2014, quando a produção apontou 14.084 mil toneladas em uma área de 9 mil hectares.

Com o aumento da produção da safra anterior e a possível manutenção de crescimento na safra 2020/2021, a agricultura familiar pode ser impactada de modo negativo por conta do efeito oferta e procura, que deverá impor uma queda no preço final do produto, como explica o dirigente. “A gente tá tendo uma safra de fumo muito boa, um inverno muito mito, mas, por conta da sobra da safra do ano anterior, a gente pode ter um preço devagar. De modo que, a safra é grande, o produto de muito boa qualidade, mas, com as sobras que já temos, isso vai impactar no preço para este ano (...) e jogando ainda para 2021”, explicou Humberto.
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »