31/08/2020 às 09h27min - Atualizada em 31/08/2020 às 09h27min

Patrulha vai combater pandemia de violência doméstica em Arapiraca

Inauguração nesta segunda (31/08)

Da Redação - com Assessoria
Foto: Reprodução

A Presidência do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) inaugura, nesta segunda (31/08), no Juizado da Mulher de Arapiraca, a sala reservada à Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar. O grupamento tem a missão de fiscalizar o cumprimento de medidas protetivas em favor de vítimas de violência e de contribuir para o combate à pandemia de violência doméstica e familiar contra mulheres no segundo maior município de Alagoas.

O presidente Tutmés Airan avalia que, dentre os instrumentos de combate à violência contra a mulher, a Patrulha é um dos mais eficazes. “Transpor esta experiência exitosa para Arapiraca é motivo de muita satisfação”, avalia o presidente.

Vinculada ao 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM), a Patrulha Maria da Penha conta com efetivo de 12 policiais militares, que vão planejar suas atividades de fiscalização de medidas protetivas a partir de sala no Juizado da Violência contra a Mulher de Arapiraca. “Vamos somar com a Polícia Militar para fazer a diferença. O combate à violência contra a mulher é uma das prioridades de nossa gestão”, explica o presidente do TJAL.

Adriana comanda Patrulha em Arapiraca

"Esse não é o trabalho de uma instituição só. É importante a soma de esforços para garantir um resultado positivo", avalia o tenente-coronel Palmeira, comandante do 3º BPM. Em Arapiraca, a Patrulha será comandada pela capitã Adriana Souza, que tem 17 anos de experiência como policial. Sua equipe vai atuar acompanhamento de mulheres com medidas protetivas e também verificando denúncias de violência pelo 190.

Para o juiz Alexandre Machado, titular do Juizado da Violência contra a Mulher, a proximidade com os militares vai dar maior agilidade ao trabalho de atendimento às vítimas, possibilitando a atuação dos policiais no momento de concessão da medida protetiva. "Será mais um instrumento que vamos utilizar para aplicar de maneira efetiva a Lei Maria da Penha", destacou o juiz.

Este ano, o Juizado já deferiu mais de 100 medidas protetivas no município. "A patrulha chega em um momento importante, porque estamos vivenciando uma pandemia de violência doméstica e familiar contra a mulher, dentro da pandemia de Covid-19", afirmou Alexandre Machado. "A patrulha contribuirá muito para a redução dos índices de violência doméstica e familiar no município”, complementou. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »