08/08/2019 às 09h56min - Atualizada em 08/08/2019 às 09h56min

'Alfinetada política', diz diretor de Premen sobre boato de falta de merenda na escola

Afonso Alcântara, diretor do Premen, foi o entrevistado do NN Entrevista desta quinta (08/08)

Da Redação
Daiane Barbosa - NN1
O programa NN Entrevista, da Rádio Novo Nordeste 91,5 FM, recebeu nesta quinta (08/08) o diretor da Escola Estadual Senador Rui Palmeira (Premen), Afonso Alcântara. O gestor esclareceu o boato que repercutiu nas redes sociais sobre uma possível falta de merenda na instituição.

“Gostaria de aproveitar a oportunidade para repudiar qualquer iniciativa de utilizar a imagem da nossa escola para uso político, para alfinetar A ou B. Em nenhum momento faltou merenda na nossa escola. O que aconteceu na verdade foi um planejamento que a gente estava fazendo no sentido de não faltar recursos lá na frente”, disse Afonso.

“O dinheiro que vem para a merenda é dividido em 10 parcelas. Oito dessas parcelas são creditadas no ano corrente, e duas no ano seguinte. Em 2018, a gente trabalhava com o ensino integral com o 1º e 2º ano, mas em 2019 a gente aumentou o número de alunos no ensino integral consideravelmente. Tivemos dois meses, para alimentar os alunos, com duas parcelas inferiores. É uma política nacional, não local. Já sabendo que isso ia acontecer, a gente já começou a trabalhar com uma ‘gordurazinha’ para trabalhar em 2019. E, com muito aperto, deu. Existe também um problema de sobrepreço nas ‘entre-safras’; a gente tem que se virar, o governo não está lá com um caixa rápido para pagar a diferença”, falou.

O diretor explicou que o plano feito era em relação ao futuro, e que não chegou a ser implantado no Premen. "Quando a gente viu que poderíamos terminar o ano com dificuldade, fizemos um replanejamento, por enquanto: uma alternância, de um dia por semana, liberando estes alunos na hora do ônibus da manhã, porque aí eles não precisariam almoçar, e economizaríamos mais duas refeições à tarde, porque o integral contempla cinco refeições. Fazendo este rodízio, cada semana seria um dia diferente de liberação, para não prejudicar as aulas daquele dia, e a gente iria repor estas aulas aos sábados e no final do ano letivo”.

No entanto, o projeto foi vazado antes mesmo de ser discutido pelo conselho escolar. “Era só uma ideia. A gente conversou com a equipe diretiva, eles acharam que era uma boa ideia, enquanto não houvesse uma solução. Então íamos reunir o conselho escolar, faríamos um memorando informando a Seduc do que estava acontecendo. Na nossa leitura, não era nenhum problema. Era um planejamento para o futuro, em nenhum momento faltou alimentação. Eu postei isso num dos grupos da escola no WhatsApp, mas alguém pegou uma parte das mensagens e colocou, creio eu, num grupo de pais ou de alunos”, explicou.
 

Para conferir outras entrevistas como esta, o programa NN Entrevista traz convidados e temas novos todos os dias, de segunda a sexta, das 8h às 9h na Rádio Novo Nordeste 91,5 FM de Arapiraca, sob o comando de José Rocha e de Gilberto Júnior.
Notícias Relacionadas »
Comentários »