10/08/2019 às 07h58min - Atualizada em 10/08/2019 às 07h58min

Josealdo Tonholo é eleito em primeiro turno novo reitor da Ufal

Chapa Ufal Mais foi escolhida, com 54% dos votos válidos

Victor Hugo
Assessoria
Na noite desta sexta-feira (09/08), a Chapa Ufal Mais, composta por Josealdo Tonholo e Eliane Cavalcante, foi eleita em consulta à comunidade universitária, ainda no primeiro turno, com 55,4% dos votos. No total, 11.706 pessoas participaram do processo consultivo, realizado nos últimos dias 7 e 8 (07/08 e 08/08).

Ao final da apuração, foi encerrada por volta das 21h, as chapas Outra Ufal é Possível (Valéria Correia, atual reitora, e Ângela Canuto), Endireita Ufal(Alexandre Toledo e Célia Nonato) e Ufal Compromisso e Ação (José Vieira, atual vice-reitor, e Tânia Voronkoff) totalizaram 31,17%, 3,84% e 8,72%, respectivamente.

O processo foi acompanhado de perto por apoiadores das chapas e pelos próprios candidatos, que estiveram presentes no pavimento superior do Centro de Interesse Comunitário (CIC) ao longo de toda a apuração. Também foi possível verificar o andamento da aberturas de urnas em tempo real por meio de link disponibilizado pela instituição.

Foram contabilizados os votos depositados nas 47 urnas distribuídas entre os municípios de Arapiraca, Delmiro Gouveia, Maceió, Maragogi, Matriz do Camaragibe, Palmeira dos Índios, Penedo, Rio Largo, Santana do Ipanema, São José da Lage e Viçosa. 8.907 estudantes, 1.446 docentes e 1.353 técnicos participaram da votação.

Candidatos avaliaram a consulta positivamente

Segundo o candidato eleito pela comunidade, Josealdo Tonholo, os princípios de democracia permearam a consulta pública. “A primeira coisa que precisamos deixar bem claro foi o espírito democrático com que se transcorreu todo o processo eleitoral, com respeito e cordialidade entre as chapas e candidatos. Então temos que estender o tapete aos nossos colegas que, foram neste momento, adversários, mas que continuam sendo nossos companheiros de universidade e que vão nos ajudar a continuar construindo esta instituição”, avaliou.

Segundo o professor, que reconheceu a importância de gestões anteriores para a construção da universidade, o resultado foi o esperado. “É importante a gente dizer que nós trabalhamos bastante nas propostas da Chapa 1, com vistas aos anseios e clamores da nossa comunidade. Então o resultado das urnas não chegou a ser uma surpresa, com vitória nos três segmentos. Mesmo assim, deixamos bem claro a importância de todos que passaram pela Ufal e que, enquanto gestão, ajudaram a edificar essa universidade como uma universidade melhor, uma universidade que vai continuar sendo melhor a cada dia com o apoio de toda a comunidade”.

A candidata pela Chapa Outra Ufal Resiste e atual reitora da Ufal, Valéria Correia, falou sobre o processo como um fortalecimento da resistência pelas causas sociais e humanas, uma das marcas de sua gestão na universidade. “Construímos a resistência, fortalecemos nossa trincheira de luta. Foram momentos intensos, lindos, de reconhecimento do outro como companheiro, de doação imensa à causa da humanidade, 'dos que vêm de baixo', de identidade e solidariedade”, afirmou.

A atual reitora também falou sobre a conclusão de seu mandato e as pautas de seu posicionamento em defesa da universidade. “Somos muitas forças para continuar lutando! Saímos fortes desta batalha. E continuaremos juntos nas próximas batalhas: combater o 'Future-se', concluir a gestão fortalecendo nossos projetos, defender a Universidade democrática, pública e gratuita e mudar o mundo”, concluiu.

Alexandre Toledo, candidato da Chapa 3, demonstrou animação por uma maior participação da comunidade na consulta. No total, foram 3.000 participantes a mais que na consulta ocorrida em 2015. “É um processo que veio se aperfeiçoando e se ajustando aos desafios que cada governo apresentava. Temos mais é que celebrar o resultado geral, porque o que se pôde notar pela comparação com as últimas eleições é que o corpo docente e o corpo técnico se fizeram mais presentes, quantitativamente”, avaliou.

O docente afirmou, ainda, que a campanha foi construtiva e respeitosa e que se sentiu realizado por ser uma alternativa para o segmento conservador. “Eu acho que foi, no fundo, uma campanha construtiva, nesse sentido. E eu diria até respeitosa, com um foco não pessoal nos oponentes, e sim em acertos e desacertos de cada período de gestão. Respeitamos a decisão das urnas, não foi o momento ainda de a comunidade estar preparada para uma ideia muito diferente de gestão universitária, em uma linha mais liberal e conservadora”.

José Vieira, atual vice-reitor e candidato pela chapa Ufal Compromisso e Ação, agradeceu à comunidade pelos votos e avaliou a participação como positiva para a manutenção da democracia e da autonomia universitária. “Estamos, eu e a professora Tânia Voronkoff, muito satisfeitos por termos contribuído para qualificar o debate e o processo democrático da consulta pública para escolha do reitor e do vice-reitor da Ufal. Ao tempo em que agradecemos  a comunidade acadêmica pela votação e pelo reconhecimento de nossas propostas e de nossos posicionamentos”, finalizou.

 
Lista tríplice enviada ao MEC é processo independente de consulta universitária. A composição da lista tríplice enviada ao Ministério da Educação está prevista para ocorrer no mês de outubro, após publicação de edital de inscrições das candidaturas, tutelado pelo Conselho Universitário (Consuni). No período, haverá deliberação do Conselho, seguindo o peso diferenciado para as categorias de docente, técnicos e estudantes, com 70%, 15% e 15%, respectivamente. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »