12/08/2019 às 09h16min - Atualizada em 12/08/2019 às 09h16min

Vencedor em 1º turno na UFAL, professor Tonholo acredita em nomeação por Bolsonaro

Não há prazo para oficialização da escolha pelo presidente da república

Karina Glória
Arquivo NN1
O professor e vencedor da consulta acadêmica para a reitoria da UFAL, Josealdo Tonholo, foi o entrevistado da Rádio Novo Nordeste nesta segunda-feira (12/08), e falou sobre o pleito, além de projetos para a entidade.

“Foi um pleito tranquilo, transcorreu no espirito democrático, com todas as ideias sendo expostas e a comunidade podendo avaliar isso e, para nossa felicidade, ganhamos nas três categorias, em primeiro turno. Então foi uma vitória indiscutível e certamente agora vem a cobrança e temos que trabalhar para implantar essas mudanças na universidade de acordo com o desejo de técnicos, professores e estudantes”, disse.

O professor apontou que a questão da segurança será uma das primeiras providências a serem tomadas. “Inicialmente será feito um diagnóstico sério do ponto de vista de gestão e qualidade de educação. Provavelmente vamos ter um plano dos 100 primeiros dias e eu e nossa vice vamos ter que trabalhar com força nos cinco itens da nossa campanha e uma das nossas preocupações primordiais é a questão da segurança. Nós estamos nos sentindo muito inseguros nos campus, que são abertos e vamos olhar com carinho para essa questão”.

Questionado sobre melhorias voltadas para o campus Arapiraca, o professor apontou a questão do Hospital Universitário. “O campus Arapiraca é uma ilha de excelência dentro da Ufal, como por exemplo na qualidade de avaliação dos cursos que estão maiores que outros campus. Existem itens fundamentais como sala de aula, laboratórios e o planejamento na questão do suporte do campo de estágio para área de saúde que vai precisar de um campo de aplicação e já estamos buscando apoio da bancada federal para construção do Hospital Universitário”.

“Educação e saúde são direitos assegurados na Constituição. Estamos falando de um hospital escola que visa atender os estudantes não só da saúde como de outras áreas, mas também em atender a saúde da população. É um sonho que temos que sonhar juntos, mas precisamos buscar meios de executar o quanto antes”, falou.

Em relação à atuação junto aos movimentos sociais, o entrevistado declarou que pretende gerir junto à todos os seguimentos. “A Universidade não tem sentido de existência se estiver alheia da sociedade. O que não podemos fazer é ser seletivos a esses movimentos, eles precisam ter todo espaço dentro da universidade, que tem que atender a toda a população. Nós prezamos por uma séria interação entre todos os setores da Universidade, da sociedade e temos que nos relacionar com todos”.

Já sobre a possível redução de recursos federais, ele salienta que o principal problema deve ser com os terceirizados. “O que temos hoje é contingenciamento, mas não nos assustaremos se isso virar corte. Teremos problemas imediatos com os terceirizados, mas vamos utilizar toda nossa sapiência para definir o que serão prioridades. Épocas de dificuldade é quando mais exercitamos a capacidade de inovação de gestão e vamos planejar e executar o crescimento sustentável dessa universidade de acordo com os recursos que serão disponíveis”.

Tonholo frisou ainda que o próximo passo da escolha é o envio de uma lista tríplice ao MEC para sua nomeação pelo presidente Jair Bolsonaro. “Será enviada essa lista, indicação do conselho universitário da UFAL. Tradicionalmente, todos os que são vencedores na consulta da comunidade tem sido acatadas pela presidência e eu prefiro acreditar que o presidente, o ministro acatarão essa indicação. Há um clamor da nossa comunidade e compatibilidade com a nossas propostas e o governo federal deve respeitar a vontade da nossa comunidade”, finalizou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »