sexta-feira, 22 janeiro, 2021
Início Agenda Cultural Prefeitura de Teotônio Vilela realiza pagamento dos recursos da Lei Adir Blanc

Prefeitura de Teotônio Vilela realiza pagamento dos recursos da Lei Adir Blanc

Pagamentos devem ser concluídos até o final da tarde desta quarta-feira (10/12) a todos autores dos projetos aprovados em edital municipal da cultura

A prefeitura de Teotônio Vilela começou a realizar na noite desta terça-feira (29/120) os depósitos referentes aos valores dos projetos contemplados pelo Edital de Premiação e Mestra Cícera do Guerreiro Mimi do Céu, conforme informações repassadas ao NN1.

Apesar de a secretaria de cultura do município ter agido de forma célere, por meio da Diretoria de Cultura, em relação a publicação do edital, bem como a análise das propostas apresentadas por todo o setor cultural do de Teotônio Vilela, a necessidade de análise criteriosa do jurídico e também do setor de finanças do município, gerou uma pequena demora no repasse dos valores aos proponentes habilitados para receberem o incentivo federal.

Os recursos foram destinados à cultural de todo o país, através da Lei Aldir Blanc, como principal fonte de investimento em projetos culturais, a fim de auxiliar os fazedores, de cultura em todas as cidades brasileiras, a enfrentar a crise financeira gerada pela pandemia da Covid-19.

Em Teotônio Vilela serão cerca de 129 propostas e artistas contemplados com o repasse de pouco menos de R$ 340.000,00 – valor destinado à cultura vilelense através da Lei Aldir Blanc.

Os valores irão financiar diversos projetos como apresentações artísticas on-line, nas áreas de literatura, publicações de livros, contação de histórias, bate-papo cultural, sarau literário virtual; artes visuais; música; artes cênicas; cultura popular; e mais de 40 projetos de artesanato, entre outros.

A secretaria de cultura

Centro Cultural de Teotônio Vilela, Alagoas.

No início do seu mandato, o prefeito Joãozinho Pereira criou a secretaria de Cultura e Juventude, objetivando, segundo ele, dar mais atenção ao setor no município. Para a pasta, na ocasião, ele nomeou Marcela Vilela para gerir a pasta.

No entanto, em 2018, Joãozinho se viu obrigado, conforme justificou, a extinguir a secretaria em virtude da crise na administração pública em todo o país, que impactou na diminuição do repasse de verbas por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Marcela Vilela assumiu a Comunicação de Teotônio, onde continua até hoje, e a Cultura foi fundida mais uma vez à sceretaria de Ecução, sob a gerência  Desse modo, a secretaria foi extinta, e passando a integrar novamente a secretaria de educação, sob a gerência de Noêmia Barroso.

Com a aprovação da Lei Aldir Blanc, no início do segundo semestre de 2020, o executivo encaminhou projeto de Lei para o legislativo municipal, no qual recriou a secretaria de cultura, desta vez, como Secretaria de Cultura e Turismo. A pasta passou a ser gerida, provisoriamente, por Noêmia, o que deve mudar com a posse do prefeito eleito Peu Pereira.

Mudança positiva

Equipe da Diretoria de Cultura de Teotônio Viella

Embora a pasta tenha perdido o status de secretaria ainda em 2018, a equipe montada pelo Diretor de Cultura, Roberto Oliveira, nome escolhido por Noêmia, deve entregar até o próximo dia 31 de dezembro de 2020, resultados positivos, em relação ao período no qual a pasta tinha o status de secretaria.

Desde o início da sua criação, a Diretoria de Cultura realizou a IV Mostra de Cinema Vilelense, com a participação da Mostra Sururu Itinerante de Cinema Alagoano, em parceria com a produtora independente Cana Filmes; abriu as portas do Centro Cultural Adalto Fernandes Vieira Filho, mesmo nos finais de semana, para que projetos importantes como o “The Clube The Film” pudessem ser executados, estimulando os jovens à prática de assistir filmes e realizar discussão sobre seus temas.

Além disso, a atual diretoria de cultural coordenou, nos últimos dois anos, a trupe de contação de histórias, Contos em Cantos, unindo música e literatura como princípio para contar história; criou a feira do Artesanato, com uma edição todo mês, pausada em função das restrições da pandemia da Covid-19, além de assessorar os artesãos e artesãs locais na criação da AVILE, Associação dos Artesãos e Artesãs Vilelenses; coordenou e manteve o festival de quadrilhas juninas; conseguiu doação de parte do acervo do Menestrel das Alagoas, através da fundação Teotônio Vilela, bem como catalogação de todo material;  e realizou o mapeamento cultural do município, juntamente com toda mobilização em torno da Lei Aldir Blanc, a fim de realizar a aplicação dos recursos destinados aos fazedores de cultura do município.

Festival Virtual Viva a Cultura Vilelense

Cantor Josyallen Tavares, em apresentação no Festival Virtual Viva a Cultura Vilelense

Nesta quarta-feira (30/12), a secretaria de cultura e turismo, apresenta a segunda parte do Festival Virtual Viva a Cultura Vilelense, que começou nesta terça-feira (29/12), com transmissão ao vivo através do canal oficial da Prefeitura Municipal, no Youtube.

Ontem passaram pelo palco do festival Josyallen, com apresentação de voz e violão, Vilma Queiroz e Banda, Olisan e Valdeí. Hoje (30/12), devem se apresentar Ryan e Banda, Juliano e Banda J7, Aprígio Santos, Kevyn Spacey e o projeto Sexta da Boa Musica.

Além das atrações musicais, ainda participam do evento, escritores, artistas plásticos e artesãs e artesãos, num bate papo sobre a cultura local com Roberto Oliveira, Diretor de Cultura do município.

Novo secretário de Cultura

Com os investimentos oriundos da Lei Aldir Blanc no município, a secretaria de cultura deve ser mantida no governo do prefeito eleito Peu Pereira (PP), que assume o comando da cidade neste dia 1º de janeiro.

Depois do mapeamento cultural, realizado pela diretoria de cultura, bem como as etapas de análise e aprovação dos projetos proponentes submetidos ao de Edital de Premiação e Fomento Mestra Cícera do Guerreiro Mimi do Céu, a secretaria deve concentrar sua atenção na realização dos projetos aprovados, e apresentação dos mesmos, por parte dos seus autores. Essa etapa envolve também a prestação de contas em torno dos investimentos federais oriundos da Lei Aldir Blanc.

Com isso, o trabalho na cultura precisa continuar, e um novo secretário deve ser indicado pelo prefeito eleito Peu Pereira. Esse fato já vem gerando expectativa no setor cultural do município, que tem no educador e desenvolvedor cultural, Roberto Oliveira, atual Diretor de Cultura, o nome mais bem avaliado pelos envolvidos com a cultura vilelense.

Caso a secretária de educação, e atual responsável também pela pasta da cultura, Noêmia Barroso, seja ouvida pelo prefeito eleito, e possa influenciar na escolha de um nome para a pasta a partir de 1º de janeiro, muita coisa não deve mudar, o que agradaria os fazedores de cultura locais. No entanto, um nome para a secretaria de cultura pode não ser definido apenas com foco no critério técnico.

Com os frutos colhidos e a plantação devidamente organizada – já que o mapeamento cultural e a Lei Aldir Blanc estão apenas começando a surtir efeitos – o que inclui uma aproximação inédita do poder público com todos o setor cultural do município, e que tem trazido resultados políticos positivos, mesmo que ainda tímidos, a manutenção da Diretoria de Cultura, com sua equipe atual, é tida como uma possibilidade real, considerando ainda a experiência do atual Diretor Roberto Oliveira, e o saldo positivo da sua gestão a frente da cultura nos últimos dois anos.

Mesmo porque o governo tem demonstrado um amadurecimento em relação a setores que antes não tinham maiores espaços no governo em relação a políticas públicas específicas. A aprovação do Fundo Municipal de Cultura, é um indício dessa preocupação, e de um novo olhar para com a comunidade cultural do município.

Rádios

ÚLTIMAS NOTÍCIAS