quinta-feira, 9 dezembro, 2021
InícioAlagoasRodrigo Cunha se pronuncia após soltura de Talvane Albuquerque, mandante do assassinato...

Rodrigo Cunha se pronuncia após soltura de Talvane Albuquerque, mandante do assassinato de sua mãe, Ceci Cunha

Deputada Ceci Cunha, eleita pelo PSDB, foi brutalmente assassinada na noite do dia 16 de dezembro de 1998 (16/12/98), logo após ser diplomada

Na noite desta segunda-feira (25/10), o senador Rodrigo Cunha (PSDB), se pronunciou, através de uma rede social, após a soltura de Talvane Albuquerque, condenado a 103 anos de prisão pela autoria intelectual do assassinato da então deputada federal Ceci Cunha, mãe do senador.

Cunha disse que a libertação de Talvane Albuquerque significa mais um capítulo na história da impunidade do estado de Alagoas e do Brasil.

“Libertar o assassino da minha mãe, Ceci Cunha, do meu pai, Juvenal, e de mais dois parentes, representa mais um capítulo na história da impunidade em nosso estado e em nosso país”, escreveu Rodrigo.

Na postagem, o senador chama Talvane de criminoso, destaca a condenação imposta a ele, e questiona a soltura do condenado. “O criminoso Talvane Albuquerque, condenado a mais de 103 anos de prisão, está solto. Como pode?”, perguntou Cunha.

Talvane Albuquerque é ex-deputado estadual e foi condenado a 103 anos de prisão depois de ter sido apontado como o mandante do assassinato da então deputada federal Ceci Cunha, mãe do senador Rodrigo Cunha (PSDB). O crime ficou conhecido como a “Chacina da Gruta”.

Em sua postagem Rodrigo Cunha disse repudiar, juntamente com sua família, a soltura do condenado. “Eu e minha família repudiamos está soltura e não temos palavras capazes de expressar nosso lamento e nossa agonia”, escreveu.

Postagem do Senador Rodrigo Cunha | Instagram

O senador ainda lembrou os aspectos hediondos do assassinato da mãe, do pai e de dois familiares. “Hoje, mais uma vez, revivemos dolorosamente o luto que nos fere há mais de duas décadas de um crime brutal e que pareceria ter tido um desfecho com a condenação dos seus autores intelectuais e materiais”, insistiu Cunha. Destacando a sua fé na justiça o senador disse que irá acionar novamente o judiciário para fazer com que “Talvane Albuquerque pague pelo crime cometido”.

Relembre o ocorrido

O crime aconteceu na noite do dia 16 de dezembro de 1998 (16/12/98), depois que a médica foi diplomada deputada federal, eleita pelo PSDB. Pistoleiros invadiram a residência e executaram a deputada, o marido dela, Juvenal Cunha, e mais duas pessoas da sua família, na casa do seu cunhado, no bairro Gruta de Lourdes, em Maceió.

Em 2012, ano da condenação do ex-deputado, o júri concluiu que Talvane Albuquerque mandou assassinar Ceci Cunha para assumir a vaga dela na Câmara dos Deputados, já que ele era primeiro suplente da parlamentar.

Regime semiaberto

Segundo o Tribunal de Justiça, o ex-parlamentar foi solto porque a progressão da sua pena foi concedida, conforme decisão de juízes da 16ª Vara Criminal da Capital. Isso ocorre quando o condenado já cumpriu tempo suficiente para a mudança de regime da sua pena, passando, no caso de Talvane, do regime fechado para o semiaberto.

Para cumprir o novo regime da condenação, o ex-deputado deverá ser acompanhado permanentemente pelo sistema prisional, através de monitoramento por tornozeleira eletrônica. Ele ainda deverá comparecer mensalmente ao judiciário para informar e justificar suas atividades.

Ex-deputado Talvane Albuquerque, condenado a 103 anos pro ser o mandante do assassinato da Deputada Ceci Cunha.

No regime semiaberto, caso queira, Talvane Albuquerque poderá exercer atividade remunerada. Para tanto, deverá solicitar autorização na Justiça. Além disso, o ex-parlamentar não poderá frequentar ambientes públicos nem se ausentar da cidade onde reside, sem autorização judicial.

No perfil de Rodrigo Cunha, centenas de internautas comentaram a postagem,  solidarizando-se com o senador.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS